Barra de Proteína Banana & Coco (sem adoçantes adicionados)




Barrita Proteica Banana e coco

Quinta semana de recuperação após fractura do perónio da perna esquerda e cá estou eu a tentar fazer algo de produtivo com "uma perna às costas"!
Desta feita, mais umas barritas, pois preciso de ter lanches saudáveis por perto, se não a minha massa gorda vai aumentar proporcionalmente à perca de massa muscular da dita perna! 

Nesta pasmaceira física obrigatória, só penso em comer... e não propriamente proteína e alfaces!... Mas tenho que controlar a gula se quero evitar que esse bicho mau, chamado de tecido adiposo, se apodere do meu corpo e o transforme em algo mole e flácido!... Não! Isso é que não!... Já é castigo suficiente olhar para a minha perna esquerda, tal qual perna de um Etíope e não poder fazer nada (por agora) se não pousa-la numa almofada e esperar que o raio do perónio cole definitivamente!

Enfim! isto não era a introdução do post, era apenas um desabafo!... Vamos lá então falar de barras!

A minha ideia era tentar fazer uma barra que tivesse as seguintes características:

- Uma relação dos macronutrientes mais ou menos equilibrada e que cause alguma saciedade, ou seja, algo o mais próximo possível de um rácio de 30:40:30 -  Proteína : Hidratos : Gordura


 Sem adição de açúcar ou qualquer adoçante, natural ou artificial. (esta premissa é a que complica mais, mas há sempre soluções)


- Sem cobertura, de forma a evitar o chocolate e os açucares presentes normalmente na mesma.


- Que no fim de tudo isto fosse minimamente comestível!


Muito bem! estabelecido o objectivo e depois de algumas pesquisas e testes de alto grau cientifico cheguei à seguinte fórmula:

Ingredientes: 

1 Banana Pequena 75g*
75g de Flocos finos de aveia
60g de amêndoa
30g de Avelã
35g de Proteína whey isolada sem sabor*
20g de coco ralado
20g de óleo de coco
1 colher de chá de canela em pó
1 pisca de flor de sal (opcional)
2 a 3 colheres de sopa de água.

* Se não tiverem proteína whey sem sabor usem uma com sabor a baunilha ou  banana. As minhas barras ficaram levemente doces, pois o único adoçante usado foi o açúcar naturalmente presente na banana. para quem goste mais doce pode sempre adicionar algum tipo de adoçante, uma colher de mel, geleia de agave, melaço de cana, stevia, sucralose, açúcar mascavado ou mesmo açúcar branco, seria suficiente para dar um toque mais sweet a estas barras. Se usarem uma proteína com sabor, dispensa qualquer adoçante.

Variações:

Não têm que usar exactamente estes ingredientes, as avelãs e amêndoas podem ser trocadas por outras nozes ou até mesmo por sementes. O óleo de coco pode ser trocado por manteiga ou azeite. A proteína  pode ser também uma vegetal, de soja, ervilha ou até mesmo cânhamo. O segredo mesmo está na banana, ela não só vai dar doçura mas sobre tudo vai manter a humidade na barra, pois a proteína whey seca muito quando cozinhada.

Usando mais ou menos estas proporções apresentadas podem-se alterar os ingredientes consoante as nossas preferências, possibilidades ou opções. Sejam criativos sintam-se livres para explorar novas combinações e partilhem aqui!

Preparação:


Pré-aquecer o forno a 150º, partir as avelãs e amêndoas no processador de alimentos ou liquidificador. Não moer demais! não queremos farinha mas sim pedaços pequenos. Colocar as amêndoas e nozes partidas num recipiente junto com os restantes ingredientes secos: aveia, proteína em pó, canela, coco ralado e a flor de sal. Mistura-los bem e acrescentar a banana cortada, o óleo de coco derretido e uma colher de água. Amassar tudo muito bem, podemos usar de novo o processador de alimentos para este fim, tentando não usar a velocidade máxima pois queremos amassar e não moer!
Se a massa estiver muito seca acrescentar mais água de colher em colher. O objectivo é conseguir uma massa com aspecto de muesli molhado mas moldável.

Esta espécie de mistela de alpista pegajosa, vai-se transformar nas nossas super nutritivas barras de proteína, mas para isso temos que molda-las primeiro.
Retirar do processador e colocar na forma é o procedimento mais difícil, sobre tudo para mim que sou perfeccionista! Estive quase para usar um nível e um prumo, mas umas pancadas aqui e outras ali fizeram o trabalho!




Usei uma forma de pão rectangular, aconselho a colocar um papel vegetal no fundo, embora se for uma daquelas formas anti-aderentes não deveria precisar, mas é sempre mais fácil de retirar puxando pelas pontas do papel.
Pressionar a massa com as costas de uma colher. Ir molhando a acolher é uma boa dica para facilitar esta tarefa. 

Pode-se colocar algum coco ralado por cima para dar um look mais profissional a este tijolo de proteína!

Colocar no forno pré-aquecido a 150º (máximo 160º) durante 15 minutos. Não deixar tempo a mais no forno, se não vamos obter um delicioso fardo de palha!

Deixar arrefecer e depois cortar como bem entenderem. Eu tive que cortar as arestas e come-las claro! pois queria umas barras bem catitas para a fotografia! Dividi em 5 barras aproximadamente iguais, pesando a volta de 60g cada uma. Só aparecem 3 barras nas fotos porque entre partir e provar comi duas!

Embrulhar em papel de alumínio e guardar fechado. Não precisa de frigorífico e  aguentam-se uma semana em boas condições. Talvez no frigorífico se aguentem mais tempo, digo eu!










Não consegui bem o rácio de macronutrientes que pretendia (30:40:30) mas andei lá perto: 30:34:36. Mesmo assim o resultado foi uma barra deliciosa bem macia e ao mesmo tempo crocante!
O sabor é extraordinário! sem ser muito doce ficaram de facto com um sabor muito natural. Consegue-se sentir os aromas, sabores e texturas de cada ingrediente. 
Perfeitamente tolerada por diabéticos (açucares por barra menos de 3g) e com um factor de saciedade impressionante!

Upgrades a fazer:

Da próxima vez vou adicionar algo de fibra com cascas de psyllium e talvez umas sementes de cânhamo para melhorar o rácio de proteína e hidratos.

As opções são infinitas, basta ter criatividade e ir testando.

Aconselho verdadeiramente que testem fazer esta receita em casa, é de todo aconselhável e ficarão surpreendidos com o resultado! Depois de provarem estas barritas não será fácil voltar a gastar dinheiro nas versões comerciais!


8 comentários:

  1. Parecem deliciosas, vou testar de certeza!

    ResponderEliminar
  2. Muito boas! fiz com proteína de baunilha ficaram top! Obrigado pela receita fabulosa

    Fico à espera de umas barras mais energéticas

    Ass. Alberto

    ResponderEliminar
  3. Também usei proteína de manteiga, e manteiga, em vez de óleo de côco...excelentes!

    ResponderEliminar
  4. excelente blog! muito boa receita! que aspeto maravilhoso!

    ResponderEliminar
  5. Lamento dizer isto, mas ao colocar a massa no forno as proteínas ficaram desnaturadas, ou seja, perderam a sua função biológica, logo já não vão ter o mesmo efeito que teriam caso não fossem assadas. Tomando como exemplo um cabelo, se se aplicar calor ao mesmo ele fica mais pequeno, pois ele é composto por uma proteína (a queratina), que como qualquer outra, ao ser sujeita a calor elevado (superior a 45ºC) perde a sua função e estrutura. Isto leva a que o cabelo altere a sua forma e, assim, a sua estrutura bioquímica.

    Sendo assim, aconselho que não coloque no forno, mas que deixe a secar no frigorífico. Isto, porque, por norma o ar nos frigoríficos é seco e, assim, vai permitir que a massa seque sem se estragar.

    Para além disto, se substituir a água por sumo de laranja ou limão ou qualquer outro citrino, vai melhorar a receita a nível nutricional, porque vai acrescentar vitamina C.

    Mais uma vez desculpe pela correcção

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Desculpe não concordar mas o frango, a carne, os ovos, o peixe, também são compostos de proteína, não entanto todos nós cozinhamos a nossa comida! De facto o calor causa uma desnaturização na proteína, pois por natural se define a proteína no seu estado natural (crua). Depois de sujeita ao calor existem algumas alterações na sua estrutura, mas por vezes até benéfica pois se tornam mais digeríveis, como acontece com os ovos ou a carne. O seu valor proteico e aminoácidos continuam presentes no alimento, o que existe é uma desnaturização e não uma degradação. Isto para não falar do risco acrescido de comermos este tipo de proteínas cruas!...

      Quanto ao sumo de laranja achei uma excelente ideia e vou tomar nota, pois para alem da vitamina C (ácido ascórbico) que até pode servir de anti-oxidante, vai-lhe conferir mais algum doce extra a esta receita! Gostei mesmo da ideia! :)

      Para terminar, esta receita pode realmente dispensar de forno, contudo ela foi feita para que as barras resistissem uns dias sem estar no frigorífico e para isso torna-se essencial seca-las no forno!

      Obrigado pelo seu comentário!

      Eliminar
  6. Boa tarde. Grande receita msm. Como disseste, podiamos dar asas à imaginação, e modifiquei e acrescentei algumas coisas, e ficou brutal. 1º como nao tinha oleo de coco, juntei oleo de amendoim em x do azeite ou manteiga, q acho q deve fazer bem melhor. Dps acrescentei flocos de trigo integrais e linhaça. Como vai tudo a misturar, nem se nota mt, e fica bom. Por ultimo, como nao tinha whey sem sabor, foi msm a whey q tinha, de chocolate. Com algum receio de se tornar mt doce, expremi meio limao em x da agua, cortou um bocado à doçura e ficou brutal. Uma excelente continuaçao de bom trabalho.
    Cumprimentos,

    Luís Pinheiro

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Excelente Luis, de facto podemos dar asa à imaginação e vale quase tudo! Obrigado pelo teu feed e continua a visitar esta minha casa! :)

      Eliminar